Blog posts

Resumo do intercâmbio de torra dos EUA/Brasil

Nós da Cropster estávamos muito empolgados em trazer o nosso recente intercâmbio de torrefadores EUA / Brasil - um painel de 3 dias que continha informações valiosas e percepções sobre o mercado de café dos EUA e o mercado produtor brasileiro. Vários especialistas em torra e mercado se juntaram a este painel de 3 dias para discutir os mercados brasileiro e americano e aprender como os profissionais de café brasileiros podem implementar diferentes estratégias que os torrefadores líderes dos EUA usam no seu mercado. Das equipes da George Howell Coffee, Intelligentsia Coffee ao Onyx Coffee Lab, cada dia tinha uma perspectiva única sobre o que gerou o sucesso no mercado dos Estados Unidos. Se você não conseguiu participar de alguma ou todas as sessões do painel ou deseja relembrar as principais lições, continue lendo para saber mais.

Dia 1 No
Dia 1 do USA/Brasil Roaster Exchange, o brasileiro Danilo Lodi se juntou com George Howell e vários membros da George Howell Coffee. Desde dicas sobre armazenamento até distribuição de cafés, houve muitas lições importantes desse dia.

A distribuição dos cafés de George Howell é um componente chave para as estratégias de vendas e marketing de como eles apresentam seus cafés. Seus cafés e sites são plataformas e canais cruciais para eles falarem com seus clientes. Reconhecidamente, o canal de atacado é um canal eficaz para distribuição, lucratividade e escalabilidade, mas não tem sido o mais eficaz para o impacto na origem e a busca pelo café da mais alta qualidade.

Uma parte das inovações de George Howell foi seu trabalho com o congelamento de café nos últimos 20 anos. A arte de congelar café já foi mostrada nas cápsulas de George Howell, da Cometeer. Essas cápsulas contém o extrato de café moído que foi congelado imediatamente após a infusão. Tudo o que é necessário para preparar esses cafés é que o pó seja mergulhado em água quente. Essa inovação chega aos consumidores que buscam conveniência, mas também café fresco de alta qualidade.

George Howell também descobriu que o café verde pode ser congelado por vários anos e ainda manter sua qualidade. No entanto, George Howell seguiu as recomendações de temperatura de congelamento da indústria alimentícia e ainda não sabe como os cafés reagem a diferentes temperaturas. Ao congelar esses cafés, George Howell geralmente usa embalagens a vácuo ou GrainPros para armazenar o café e ainda tem cafés de 2013 com sabor igualmente fresco. Uma parte importante do congelamento para George Howell é remover os cafés cerca de 3-4 dias antes da torra, mas não abrir esses pacotes até imediatamente antes da torra. Digno de nota, se os cafés já estão envelhecendo, o congelamento não os impedirá de envelhecer; só vai desacelerar.

George Howell Recomendações para congelar café torrado:

  • Para torrefadores de cafés que desejam congelar café, a recomendação é usar sacos lacrados a vácuo e quantificar cada pacote para ser suficiente para uma infusão ou torrefação e nada mais do que isso.
  • Para cervejeiros caseiros, a recomendação é usar pequenos recipientes ou sacos zip-lock e empurrar o ar para fora. Dê um passo adiante e congele um saco / recipiente por bebida.

null

Dia 2 No
Dia 2 do USA/Brasil Roaster Exchange, o brasileiro Hugo Rocco do Moka Club se juntou ao painel com Ian Logan da Intelligentsia Coffee. Dos vários cafés da Intelligentsia os cafés brasileiros são a maior parte de seus cafés, Ian Logan deu uma análise da operação de torrefação da Intelligentsia em Los Angeles.

Os principais canais de venda da Intelligentsia Coffee são por meio de seus cafés, atacado e varejo online, sendo que 60% dos cafés são brasileiros, o que também compõe 75% do componente básico do expresso. Dada a grande rede de cafés da Intelligentsia, cada região tem sua própria singularidade e toque específico para aquele café. Sobre o frescor, Ian diz que  geralmente tentam preparar seus cafés e tiram suas doses cerca de 10 a 14 dias antes da torra.

Em relação aos cafés brasileiros, a Intelligentsia usa a maior parte de seus cafés brasileiros em blends. No verão, acrescentam origens mais frutadas, enquanto no inverno acrescentam origens mais redondas com notas de chocolate e caramelo. No entanto, ao torrar seus cafés brasileiros, eles podem torrar seus cafés brasileiros mais rápido do que costumavam fazer. Ian diz: “Nossos cafés brasileiros são mais densos, então posso ser mais agressivo com eles e extrair mais do café”.

Do controle de qualidade à torrefação, a Intelligentsia usa Cropster's Roasting Intelligence para entender e manipular seu perfil brasileiro para melhorar seus perfis. Eles então usam o Cropster Cup para analisar e avaliar as notas de sabor que obtêm de cada perfil e suas melhorias.

null

Dia 3 No
Dia 3 do USA/Brasil Roaster Exchange, o brasileiro Boram Um da Um Coffee Co se juntou ao painel com Dakota Graff do Onyx Coffee Lab. O tour de Dakota pelo QG da Onyx em Arkansas deu aos telespectadores uma compreensão visual da marca que eles usam em seus cafés, mas também das tecnologias que eles usaram para manter uma marca conhecida por torrar cafés da mais alta qualidade.

O processo de controle de qualidade da Onyx é rigoroso e inclui o uso do Cropster para gerenciar as várias amostras que são avaliadas e  torradas na origem e na torrefação. Dakota explica como ele usa a seção de amostra de Cropster para inserir novas amostras, avaliar essas amostras por meio de sessões de degustação de Cropster e aceitar ou rejeitar essas amostras. Nesse ponto, a Onyx pode entrar na fase de compra dos cafés ou continuar fornecendo feedback com análises da Cropster para seus parceiros de origem para melhorar durante a safra atual ou na próxima. Um recurso interessante que ajudou Dakota e Onyx maciçamente foi o gerenciamento de estoque verde. Como suas instalações não armazenam todos os seus cafés, Dakota pode gerenciar remotamente seu estoque externo em outros depósitos diretamente da mesma conta da Cropster.

Uma parte do que torna a Onyx interessante é seu grande foco em café de alta qualidade e seu investimento em suas infra-estruturas de treinamento. Dakota menciona como o Onyx visa manter um limite de qualidade de 86 pontos ou mais. Junto com esse foco na qualidade, eles complementam isso em seus cafés, treinando rigorosamente seus baristas.

Se esses torrefadores e especialistas o intrigaram e estão interessados ​​em aplicar o Cropster ao seu torrefador, entre em contato ou reserve uma demonstração aqui!

Mais publicações

New releases

Novo lançamento: Protocolo entre Bateladas, a chave da padronização

É com orgulho que lançamos o protocolo entre bateladas, mais um recurso exclusivo para os mestres de torra com o objetivo de facilitar o levantamento, acesso e análise das principais informações do…

Saiba Mais
Origin   -   Quality Control / Cupping   -   Supply Chain   -   Blog posts

Customer Success Story: Falcon Coffees Peru

O Peru é uma origem próspera. Portanto, não é nenhum segredo que a Falcon Coffees, com sede no Reino Unido, montou uma operação de origem inteira no Peru. Simon Brown é o gerente país da Falcon no…

Saiba Mais
Blog posts

Explorando perfis de torra para cold brew

Nosso recente webinar com Nancy Córdoba foi revelador e trouxe muitas novas ideias para a criação de perfis de torra para Cold Brew. Nancy Córdoba conduziu um estudo na Universidad de la Sabana sobre…

Assista já

Inscreva-se na nossa newsletter

e saiba mais sobre soluções para

Here should be a form, apparently your browser blocks our forms.

Do you use an adblocker? If so, please try turning it off and reload this page.